Jornalismo Ambiental no Brasil e no Mundo

Notícias e conteúdos sobre a prática do jornalismo na área de meio ambiente no Brasil e no Mundo


Deixe um comentário

16 exemplos de jornalistas científicos e ambientais

Por Silvia Marcuzzo

Há muitos profissionais da imprensa que estão fazendo um bom trabalho de disseminação das informações científicas e socioambientais. E alguns deles foram citados na live Nas Ondas da Transição do dia 9 de setembro/2021 pelas jornalistas Sucena Shkrada Resk e Meghie Rodrigues, onde o tema Conexões entre jornalismo ambiental e científico foi abordado. Os programas Nas Ondas da Transição são produzidos e apresentados pela jornalista Silvia Marcuzzo com links no site que mantém em www.silviamarcuzzo.com.br

Como um dos objetivos do site www.silviamarcuzzo.com.br é potencializar a divulgação para engajar mais gente no entendimento dos desafios da crise climática, a seguir estão os nomes dos colegas e os veículos que atuam.

Continuar a ler


Deixe um comentário

Desafios do audiovisual em tempos de crise climática é tema de live

Carlos Kober e Caio Salles são os convidados da quinta, dia 26 de agosto, no programa Nas Ondas da Transição, produzido e apresentado pela jornalista Silvia Marcuzzo. O tema principal será o quanto é desafiador produzir audiovisuais “em tempos de crise climática”. O encontro acontece nesta quinta-feira, 26/8/2021, às 17h, neste link.

  • Caio Salles – diretor, editor chefe, repórter de séries e documentários e criador do Projeto Verde Mar e
  • Carlos Kober – professor e diretor artístico de programas de televisão aberta, como Globo, Band e TV Cultura

Em pauta o quanto a criatividade tem sido exigida dos profissionais diante do avanço das mídias digitais.

Continuar a ler


Deixe um comentário

Silvia Marcuzzo lança site onde aborda a comunicação e crise climática

Silvia Marcuzzo / ilustração em https://silviamarcuzzo.com.br/quem-sou/


No dia 18 de agosto, quarta-feira, às 19h, a jornalista Silvia Marcuzzo, vai apresentar seu espaço na web ao vivo, no YouTube. O evento vai misturar arte, comunicação, jornalismo, ativismo e fomento à cidadania. Terá a participação de profissionais de distintas áreas que serão entrevistados tanto pela própria jornalista, como por convidados. O site estará no endereço www.silviamarcuzzo.com.br.

A ideia é mostrar um pouco da trajetória de Sílvia, que vem participando e articulando ações em vários projetos pelo Brasil para a ampliação da consciência para uma transição civilizatória com mais diálogo e menos emissão de CO2 .

“Quero mostrar que é possível criarmos ambientes online para tratarmos de diferentes temas que se relacionam à qualidade da comunicação e da emergência climática”, resume Sílvia.

O evento tem a presença confirmada das jornalistas Maria Zulmira de Souza, Gisele Neuls e Isabela de Lima, dos professores Edvaldo Pereira Lima e Luiz Felipe Nascimento, das facilitadoras Patrízia Bittencourt e Mônica Lan, do curador de artes visuais Ben Berardi, do pesquisador Pedro Reis, do Centro Polar e Climático da Ufrgs, entre outros convidados. O encontro terá a facilitação poética do empreendedor Nuno Arcanjo.

O site vai trazer lados diferentes da jornalista que também é artista e facilitadora de grupos. Também serão disponibilizadas publicações editadas e/ou produzidas pela jornalista, textos, fotografias de peças entre outros conteúdos.

Na live, serão entrevistadas pessoas que tem a influenciado para assumir seu papel de construtora de pontes e de promotora de ações para a ampliação da consciência socioambiental, principalmente entre comunicadores e jornalistas.

Sílvia também vai anunciar a nova temporada das lives Nas Ondas da Transição, no YouTUbe. A live continuará no mesmo dia e horário, todas quintas, às 17h, só que no YouTube. Em 2020, ela realizou quase 50 lives que estão disponíveis no seu @silmarcuzzo do IGTV.

O link do YouTube do Canal da Silvia é https://www.youtube.com/watch?v=aWdHsfu3CeQ.


Deixe um comentário

Curso vai abordar como os jornalistas podem usar dados ambientais em quantidade

A Escola de Dados – programa educacional da Open Knowledge Brasil – realizará em maio de 2021 um curso inédito sobre jornalismo de dados ambientais, com apoio da Earth Journalism Network. As pessoas participantes também poderão concorrer a duas bolsas de R$ 8 mil para desenvolver investigações inéditas na área. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 10 de abril.

A formação ‘Jornalismo de dados ambientais: no rastro do desmatamento da Amazônia’ traz uma introdução prática a recursos, ferramentas e conceitos relevantes para jornalistas trabalharem com dados ambientais, em especial no contexto da cobertura de queimadas e desmatamento na Amazônia. Serão oferecidas mais de 200 vagas gratuitas para profissionais de comunicação participantes do curso, com foco prioritário nos estados da Amazônia Legal.

Além de videoaulas e aulas ao vivo com especialistas na área, haverá acesso a um chat para troca de mensagens e orientação entre alunos e professores. As bolsas serão oferecidas para potencializar investigações jornalísticas baseadas em dados ambientais. As reportagens apoiadas deverão ser publicadas até o dia 20 de junho.


Deixe um comentário

Jornalismo Ambiental no Direto da Ciência

Screenshot 2020-03-05 09.58.19Artigo de Roberto Villar Belmonte*

O jornalismo especializado em temas ambientais abriu espaço na imprensa brasileira quando adotou a ciência como fonte central das reportagens, segundo relato de repórteres que trabalharam com a pauta ecológica nos anos 1970 e 1980, entre eles Randau Marques e Liana John. De lá pra cá a perspectiva científica passou a fazer parte do que é considerado jornalismo ambiental de referência, nas grandes redações e também fora delas.

Com as mudanças estruturais que assolaram o jornalismo devido à digitalização do mundo no século XXI, redações têm sumido e/ou murchado. Uma das consequências disso é a precarização do trabalho, a outra é o surgimento de pequenos empreendimentos produzindo jornalismo especializado de qualidade. Um exemplo é o site Direto da Ciência mantido por Maurício Tuffani.

Continuar a ler


Deixe um comentário

Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental é entregue em Porto Alegre

Captura de Tela 2019-10-25 às 11.08.48.png

Os ganhadores. Foto: Divulgação ARI

A sexta edição do Prêmio José Lutzenberger de Jornalismo Ambiental foi entregue recentemente em cerimônia festiva em Porto Alegre (em 22/10/2019). O editor desta página, jornalista João Batista Santafé Aguiar, colaborou como jurado sendo um dos representantes da ARI – Associação Riograndense de Imprensa.

A ARI e a a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES Seção Rio Grande do Sul (ABES-RS), em parceria com Braskem, promoveram a cerimônia de premiação dos vencedores da sexta edição do Prêmio tendo como local  a Nau Live Spaces na presença de jornalistas dos mais representativos veículos de comunicação do RS. Continuar a ler


Deixe um comentário

Publico.pt diz que ‘Ser jornalista de ambiente já é quase tão perigoso como ser repórter de guerra’

Captura de Tela 2019-06-18 às 14.21.17O jornal-web Publico.pt divulgou nesta segunda-feira (17/6/2019) matéria não assinada sobre o trabalho do jornalista na cobertura de questões ambientais. O trabalho chega a conclusão que ‘ser jornalista de ambiente já é quase tão perigoso como ser repórter de guerra’.

Público é um jornal diário de grande informação, orientado por critérios de rigor e criatividade editorial, sem qualquer dependência de ordem ideológica, política e económica, diz o próprio.


Deixe um comentário

Revista ECO21 lança financiamento coletivo

Captura de Tela 2019-05-09 às 21.26.58A Revista ECO21 abriu a possibilidade de receber ajuda via financiamento coletivo sediado no Catarse. 

A revista foi criada em 1990 para ampliar o conhecimento sobre temas ambientais no Brasil e no Rio de Janeiro em especial. A cidade receberia dois anos depois a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, também conhecida como Cúpula da Terra ou Rio 92.

Por iniciativa dos jornalistas Lucia Chayb e René Capriles, a revista continua sendo editada e mensalmente oferece o que considera de mais importante sobre meio ambiente no Brasil e no mundo, por meio  de um olhar atento e profissional e conhecimento dos temas.

Os recursos dessa captação serão utilizados para modernizar a presença da ECO21 na internet e ampliar seu alcance junto aos leitores de todo o Brasil, em um momento em que a informação qualificada ganha relevância extra frente ao grande volume de dados fora de contexto e falsos que assolam a sociedade.

  • Colabore com o fortalecimento da Revista ECO21 e sua evolução no ano em que completa 3 décadas de jornalismo
  • Site do Financiamento Coletivo SOS Revista ECO21


Deixe um comentário

Grupo de Pesquisadores lança o Observatório de Jornalismo Ambiental

Captura de Tela 2019-04-16 às 10.06.40Como primeira matéria do Observatório de Jornalismo Ambiental, o Grupo de Pesquisadores em Jornalismo Ambiental publicou nesta segunda-feira (15/4) a primeira matéria, de autoria do  jornalista, professor e doutorando em comunicação Roberto Villar Belmonte. Na matéria, intitulada “Agrotóxicos: qual a função e o limite do jornalismo?“, Belmonte analisa o conteúdo da série de reportagens veiculadas no Globo Rural, de 31 de março e 7 de abril produzidas no Paraná.

Para o autor, “as reportagens abrem com a vinheta do Globo Natureza, sugerindo ao telespectador que a perspectiva apresentada seria a da natureza ou ambiental”“No entanto”, observa, “o enquadramento foi o do Agro é Pop: a Indústria-Riqueza do Brasil, campanha publicitária em prol do agronegócio exibida no horário nobre da emissora”.

Para o professor, “O programa comprou a resposta da indústria: O Brasil tem problemas com agrotóxicos – quase 40 mil casos de intoxicações notificados entre 2007 e 2017 – porque os agricultores usam errado o veneno.”.